Histórico


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 Thy Symphony - Banda Metal Melódico
 Bibliotecas (Cidade São Paulo)
 Amigos do livro


 
Blog de crisrezendedasilva


Com Caco sem cacos

 

Era uma vez uma moça que em certa ocasião foi mãe-pássaro. Mãe de uma maritaca chamada Caco. Caco ficou aos cuidados dela depois que, ainda bebê, caiu do ninho. A moça teve que alimentá-lo no bico e preparar um cantinho bem quentinho para ele ficar.

Bem, a moça e a maritaca, tiveram uma relação próxima: o pássaro pegava comida no prato dela, eles ficavam juntos no sofá: ele aconchegado na coberta e ela assistindo TV; Caco gostava de andar nos ombros da moça e de se enroscava nos cabelos dela.   

Ela era sempre avisada: “corte as asas do Caco, caso contrário, ele vai embora”. Mas acontece que, a moça começou a sentir algo estranho, sentia que o seu pássaro tinha que voar.

Certo dia, ela decidiu que não mais cortaria as asas da maritaca. Isso não era justo! Queria vê-la voando. Ora, Caco era um pássaro e pássaro foi feito para voar! Então por que não dar a ele esse prazer?

E ele voou, voou para bem longe, e ela mal pôde vê-lo no céu, de tão rápido que Caco saiu pela janela e partiu. Naquele mesmo instante ela sentiu um forte arrependimento, lembrou-se de outros dizeres: “ele não sabe se defender e poderá cair nas garras de um gavião ou preso em uma gaiola qualquer”.

Ela pensou: ele volta, com certeza voltará! Mas a vida dela estava um caco e resolveu sair para procurá-lo, ai lhe ocorreu à seguinte revelação: ao observar, de longe, a janela do seu apartamento notou que tal janela era minúscula em relação ao emaranhado de coisas: casas, comércios, prédios, ruas; ao redor. Ficou aflita: Como Caco a acharia? Ele nunca tinha visto nada daquilo, não conhecia o mundo fora do apartamento!

Como?

A única coisa que sei é que, desse dia em diante, para a moça, o som das maritacas passou a lembrar Caco...

 

*

 

Como estamos na semana do natal: que o amor, a saúde e a alegria preencham essa data e toda nossa vida! 

 

 

 

 

  



Escrito por crisrezendedasilva às 11h03
[] [envie esta mensagem] []




[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]